Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tu tens a mania

Tu tens a mania

O Perigo da Neutralidade

Eu sei que muitas pessoas gostam de se manter neutras em determinadas situações/assuntos. Eu própria, principalmente no que toca ao trabalho, gosto de me manter de parte e não dar a minha opinião, muito por causa da incapacidade das pessoas de ouvirem opinião diferentes. Mas há situações em que ser neutro é colocar-se do lado do culpado

 

Ao não subscrever à declaração de 13 Estados-membros, e alegando o "dever de neutralidade", o governo português acaba por passar a mensagem de que não importa com os direitos humanos. Para muitos, o que a Hungria fez não é nada de especial. No entanto, quando se proíbe a "representação e promoção de uma identidade de género diferente do sexo à nascença, da mudança de sexo e da homossexualidade" a menores de 18 anos, cria-se um estigma e uma intolerância junto dos jovens. Eles deixam de ter exemplos que mostrem que eles são normais. Deixam de conseguir dar um significado ao que sentem. Perdem a oportunidade de conhecer outras realidades e desenvolverem empatia pelo outro. Começam a desenvolver preconceitos. E assim se forma uma sociedade intolerante e sem capacidade empática. E isto será só a ponta do iceberg. Mas a Hungria não está sozinha. Existe também a Polônia e as suas "zonas livres de LGBT". E a intolerante Bielorrússia. E a Europa permanece quieta

 

O governo português assim quis manter-se "neutro" perante uma situação que colocará em risco (numa fase inicial, apenas) a vida dos jovens húngaros. Porque continua-se a achar que não é nada demais. E o mais ultrajante é que há uns dias atrás, o nosso querido primeiro-ministro publicou uma foto nas redes sociais onde hasteava a bandeira arco-íris e a dizer que não há lugar para o ódio e a discriminação em Portugal. Mas em que ficamos? Que mensagem achas que estás a passar aos portugueses quando dizes que temos o dever de sermos neutros quando os direitos LGBTQIA+ estão a ser atacados nos outros países? Diariamente, oiço comentários homofóbicos (nem sempre dirigidos a mim) e as pessoas acham que é a coisa mais natural do mundo. E o governo português, em vez que serem um exemplo para a sociedade portuguesa, decide olhar para o lado e assobiar. Não se pode ser-se neutro no que toca a direitos humanos. Ou estás do nosso lado ou estás contra nós!

 

"Devemos sempre tomar partido! A neutralidade ajuda o opressor, nunca a vítima. O silêncio encoraja o atormentador, nunca o atormentado. Às vezes devemos interferir. Quando vidas humanas estão ameaçadas, quando a dignidade humana corre risco, as fronteiras nacionais e as sensibilidades tornam-se irrelevantes" - Elie Wiesel (retirado da página da Dezanove)

2560px-LGBTQ+_rainbow_flag_Quasar__Progress__varia

Hoje e sempre me vestirei de arco-íris

 

P.S.: Afinal, Portugal irá assinar a declaração, no dia 1 Julho, após terminar o mandado no Conselho Europeu. Menos mal

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub