Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tu tens a mania

Tu tens a mania

Procrastinação

Procrastinação. Antes da universidade, desconhecia o termo. Com a entrada na universidade, comecei a andar de mãos dadas com ela.

A verdade é que sempre me apliquei nos estudos. Estava sempre a competir comigo mesma, a ver se conseguia tirar melhores notas que anteriormente. E isso continuou a acontecer na universidade. Mas como é possível aplicar-se e procrastinar? Ora muito bem, eu tinha o hábito de, quando chegava a casa, fazer tudo menos estudar até ser horas de jantar. Após o jantar, lá ia estudar um pouco (habitualmente eram resumos das aulas do dia). E isto implicava ficar acordada até tarde, ou adiar as coisas para o dia seguinte ou acumular trabalho para o fim de semana. E as tardes livres eram passadas a fazer nada até que aparecesse o bichinho do pânico. E fui assim fazendo as cadeiras. Reprovei a algumas cadeiras que me prejudicaram o percurso académico. A culpa foi da procrastinação? Pode ter sido. Mas a verdade é que as duas cadeiras que mais me prejudicaram foram cadeiras que mais pânico me causaram e, consequentemente, aquelas que comecei a estudar desde o início das aulas.

Este ano é o meu último ano de mestrado. Estou a estagiar e tenho que desenvolver uma dissertação em torno do projecto que está a ser elaborado no estágio. Não tenho aulas, mas trabalho o dia inteiro. Ou seja, chegando a casa, é normal não fazer nada. Não por preguiça, mas por cansaço. Tentei, por diversas vezes, trabalhar na dissertação durante a semana, depois do jantar. Mas a realidade é que não dá. As letras pareciam caracteres chineses e o meu cérebro parece estar a desligar-se. Acabei por deixar a dissertação para os fins-de-semana.

Actualmente, tenho a dissertação a meio e tinha planeado já a ter quase terminada (faltando apenas as conclusões). Não tenho e sei porquê. Ao fim-de-semana procrastino. Tudo é mais interessante e importante que escrever essa coisa maldita. É costume dizer-se que o estudante tem o quarto arrumado em época de exames. O meu quarto tem estado imaculado.

Mas o pânico começou a atacar este fim de semana. Maioritariamente porque daqui a duas semanas tenho um exame de inglês e daqui a uma semana tenho um casamento. E comecei a panicar a pensar que não tenho tempo para tudo. No domingo, comecei a trabalhar. Agora sim, dissertação está em desenvolvimento. A ver se esta dose de adrenalina se mantém, pois bem preciso dela.

 

P.S.: Curiosamente, ontem à tarde vi esta TedTalk  de Tim Urban sobre procrastinação. A realidade é exactamente esta.

 

 

Dia Mundial do Livro

23 de Abril é considerado o dia mundial do Livro. Este dia foi criado pela UNESCO com o objectivo de promover a leitura, publicação de livros e os direitos de autor.

Isto tudo começou na Catalunha, em 1926, onde um conjunto de livreiros decidiu homenagear Miguel de Cervantes No entanto, Cervantes morreu a 22 de Abril e não a 23. A confusão com a data de falecimento deve-se ao facto de, na altura da morte de Cervantes, o registo do óbito só era realizado no dia do funeral (ou seja, no dia seguinte à morte). Curiosamente, dia 23 de Abril é dia de S. Jorge e é tradição, na Catalunha, oferecer presentes a quem se ama. O que, com a inserção do dia do livro, se passou a oferecer uma rosa e um livro como presente.

sanr jordi.jpg

 (x)

Em 1995, a UNESCO decide, então, instituir o dia 23 de Abril como dia mundial do Livro por ser dia do falecimento de Cervantes, Shakespeare e Josep Pla. Curiosamente, só Pla é que morreu, efectivamente, a 23 de Abril. Em 1616, o Reino Unido ainda usava o calendário juliano. Por outras palavras, enquanto lá era 23 de Abril, por cá seria 6 de Maio (existe um desfasamento de 13 dias entre o calendário juliano e o calendário gregoriano).  Independentemente disso, dia 23 de Abril é dia de comemorar o falecimento de Shakespeare no Reino Unido (o dia do livro é na primeira quinta-feira do mês de Março). Apesar desta confusão de datas, acho interessante que dois dos maiores escritores tenham morrido no mesmo ano e com poucos dias de diferença.

ng6575291.jpg

 Autoria: TIAGO ALBUQUERQUE (x)

Para mim, hoje também é dia de Shakespeare. Inicio hoje uma jornada shakespeariana: foi começar a série uma série de três livros (que, na realidade, são 4): Richard II, Henry IV (part I & part II) e Henry IV.  O objectivo é, no final, assistir ao primeiro ciclo da série de filmes The Hollow Crown, produzida pela BBC, com participação de Ben Whishaw, Jeremy Irons e Tom Hiddleston. A segunda série sairá este ano, que decorrerá em torno de Henry VI e Richard III (Tom Sturridge e Benedict Cumberbatch).

The hollow crown.png

 (x)

No entanto, hoje à noite, irei assistir à transmissão (no cinema UCI) do espectáculo em homenagem a Shakespeare, organizado pela Royal Shakespeare Company e apresentado por David Tennant e Catherine Tate (a fã de Doctor Who está aos pulos!). Este espectáculo contará com a representação de algumas cenas dramáticas das obras de Shakespeare, bem como a interpretação de músicas e danças. Este espectáculo começa Às 20:30 e terá transmissão na BBC Two (UK), BBC Worldwide e nos cinemas UCI (Europa).  Para mais informação, podem visitar o site da RSC relativo ao evento.


shakespeare_fireworks_2016_400_anniversary_celebra

 (x)

 

Feliz dia do Livro (e de Shakespeare e Cervantes)!

 

P.S.: A Fnac, a Bertrand e a Wook estão com promoções.

 

A culpa não é minha

Após ter passado o dia a salivar por algo doce, tive o enorme prazer (cof cof) de estar sentada junto de um jovem que passou a viagem de comboio (20 minutos, mais coisa, menos coisa) a morfar 4 donuts e mais 2 folhados. Uma pessoa ao ver isto, e após de ter que se contentar com um pãozinho com queijo, é óbvio que fica maluca! Felizmente, lembrei-me que precisava de ir às compras e sei um saltinho à secção de pastelaria.

E foi assim que acabei por chegar a casa com dois muffins de chocolate debaixo do braço e não deixei que ninguém se aproximasse deles, sob pena de ficarem sem um braço!

muffins.jpg

Foto

The Liebster Award

liebster-award-clean.jpg

 

 

 

Antes de mais, obrigada à S. pela nomeação. Que bela espremidela que tive de fazer à tua custa.

Foi a primeira vez que ouvi falar no The Liebster Award e, consequentemente, perdi uns belos minutos a ler outros blogs. No fundo, trata-se do reconhecimento do trabalho por detrás dos blogs, permite que se conheça um pouco as pessoas por detrás deles e que se conheça novos blogues. Funciona como uma chain letter (mas, honestamente, mais divertida que aquelas que se recebia por e-mail). A pessoa pode sempre recusar participar, mas acho que a iniciativa é bem interessante.

liebster-rules.png

 

 Ok, 11 factos sobre a minha pessoa...

  1. Sou viciada em música. Não consigo passar o dia sem ela. Já tentei e não dá. Fico ansiosa, irritadiça. Não consigo fazer nada de útil ou produtivo. Às vezes tenho vontade de procurar pela internet se existe algum grupo de musicólicos (isto existe???) anónimos;
  2. Odeio o Verão. É demasiado calor. É só pele à mostra e suor a escorrer. É que depois uma pessoa nem consegue trabalhar, parece que está a derreter;
  3. Há já alguns anos que quero ser vegetariana, mas como tenho de cozinhar para mais 3 pessoas que adoram carne, nunca tenho arranjado vontade suficiente para o ser;
  4. Chocolate = música: não dá para viver sem ele. Há dias que basta um pedacinho de chocolate e fico com a sensação que estou a caminhar por entre as nuvens;
  5. Adoro dormir. É um martírio tão grande ter que acordar todos os dias às 6 horas...;
  6. Sou como as corujas: noctívaga: a minha mente parece que só funciona correctamente depois das 19 horas. Muitas vezes já passam das 23 horas, a necessitar de ir dormir para conseguir acordar no dia seguinte, e eu ainda à frente do computador ou dos livros a trabalhar;
  7. Não consigo gostar de futebol. Quando era mais nova (ou seja, há uns 10 anos) ainda ia gostando, um pouco por influência os outros (coisas da adolescência). Actualmente, quando está a dar futebol na televisão, eu mudo de divisão. Às vezes ainda apanho algumas coisas, mas se me falarem de jogadores ou treinadores fico com cara de parva;
  8. Adoro o tempo de chuva. Não sei explicar exactamente o porquê, mas sinto-me mais confortável com a chuva. Se bem que o sol, com um tempo ameno a virar para o fresquinho, também é bem agradável;
  9. Odeio café!
  10. Se pudesse, casava-me com o chá. Foi um amor que descobri com a entrada na Universidade. Como não suportava o café, tive que encontrar alternativas. O chá foi o que me rendeu e não consigo viver sem ele. É a das primeiras coisas que faço mal acordo;
  11. Durante a semana, quando estou a preparar o pequeno-almoço e o almoço para levar, estou a cantarolar. Canto mal, mas é uma das melhores maneiras que arranjei para acordar eficazmente.

Perguntas colocadas pela S.:

  1. Como surgiu a ideia de criar um blog? Surgiu mais por necessidade. Estava a passar por uns problemas por causa do estágio onde estava e necessitava de encontrar uma fuga da realidade que não fosse apenas os livros e a música. Escrever passou a ser parte do meu dia-a-dia. É verdade que não escrevo muito aqui no blogue, mais porque não desejo que isto seja uma espécie de diário. Apenas uso como partilha de opiniões e gostos, mas tem-me ajudado bastante a abstrair do que se passa ao meu redor;
  2. Qual o momento preferencial para escrever um post? À noite. Costumo ter as ideias durante o dia, mas é durante a noite que as ideias fluem mais facilmente;
  3. O que dizem os seus amigos do seu blog? Ihih, não dizem. Eles nãos sabem da existência dele;
  4. Livro preferido? Difícil de escolher um... "Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban", "O Jogo do Anjo", "O Hobbit", "The Crucible", "A Dama das Camélias", "Rastos de Sândalo", "Much Ado About Nothing", etc.;
  5. Filme preferido? Olha outra... As trilogias de "Lord of the Rings e "The Hobbit", "Star Wars", "Pride and Prejudice", "Only Lovers Left Alive", "Grand Budapest Hotel", "Finding Neverland", "Moulin Rouge", "Phantom of the Opera", "Midnight in Paris", etc.;
  6. Estilo musical preferido? Rock. Desde pequena, na verdade. Posso ouvir muitos estilos de música, mas serei sempre fiel ao Rock;
  7. Viagem de sonho? Já tive várias, mas existem duas que se mantiveram fiéis: Nova Zelândia e Cambodja;
  8. Blogs que siga assiduamente? Casal Mistério e Alho Francês;
  9. O post que mais gostou de escrever? Van Gogh. Este senhor é o amor da minha vida;
  10. 3 qualidades sobre si? Fiel, apaixonada pelos meus interesses e intuitiva;
  11. E 3 defeitos? Teimosa, desconfiada e com mau-feitio.

Perguntas para os nomeados:

  1. Qual foi o último livro que leste?
  2. Qual foi o último filme que viste?
  3. Livros que mais te marcaram?
  4. Filmes que mais te marcaram?
  5. Que fazes para relaxar?
  6. Quem é a tua pessoa preferida (famoso ou não)?
  7. Quem gostarias de conhecer?
  8. Porque criaste o blog?
  9. Como encontras motivação para o continuar?
  10. Férias que mais te marcaram?
  11. Se pudesses viajar neste momento, com despesas todas pagas, para onde ias?

Não conheço muitos blogues, sou mais de ir descobrindo à medida que vou lendo posts que me são apelativos. Por isso é que vou apenas seleccionar 4:

A Dama das Camélias

Comprei o livro, em segunda mão, num alfarrabista na Rua das Flores, no Porto, há coisa de dois anos. Comprei-o por impulso, admito, pois já há algum tempo nutria um pequeno interesse em ler Alexandre Dumas Filho. Mas só cedi a essa curiosidade em Fevereiro deste ano.

 

Curiosamente, pouco tempo depois de ter terminado de ler o livro, decorreu, no Porto, a semana das Camélias. A cidade encheu-se de camélias (pelo menos onde trabalho e nas ruas à sua volta). Esta semana permitiu alongar o sabor doce e apaixonante que o livro deixou. Também foi por essa altura que foi divulgada a peça de teatro "A Dama das Camélias", encenada por Celso Cleto, com Sofia Alves, Ruy de Carvalho, Pedro Carvalho, entre outros, em Oeiras. Ainda ponderei deslocar-me até lá para assistir à peça, mas a logística não mo permitiu.

 

Foi com imensa alegria que recebi a notícia de que se iria realizar uma sessão no Teatro Aveirense em Abril. Imensa mesmo.O tráfego do site da Ticketline deve ter andado ao rubro durante o mês de Março à minha custa.  Mas lá consegui os bilhetes e, neste sábado que passou (dia 9 de Abril) lá foi ver a peça.

 

Tenho a dizer que sempre gostei do teatro, mas não vou muitas vezes por causa dos snobs que por lá andam. Infelizmente, tive um casal deles atrás de mim. Ou seja, passei a peça a ouvir os dois a criticarem a peça e a performance dos actores. Snobs!

 

Quanto à peça, só tenho uma palavra: formidável! Foi simples, sem grandes mudanças de cenário, mas com as mudanças de iluminação e adereços necessárias. Sofia Alves foi magnífica! Passei os últimos momentos da peça a tentar controlar-me, mas acabei por começar a chorar. Saí do teatro com um nó maior do que tive enquanto lia o livro. Eles alteraram o final, de modo a tornar a estória um pouco mais justa para as duas personagens principais (o que eu adorei). Mas fiquei com muita pena. Pena de não ter a oportunidade de voltar a ver a peça. Se tivesse essa possibilidade, não iria hesitar.

DSC07595.JPG

 

Para quem não conhece a estória, o livro descreve a relação entre a cortesã Marguerite Gautier e o jovem Armand Duval. Esta estória tem um certo quê de autobiográfico, uma vez que Dumas Filho se inspirou na sua relação com a cortesã Marie Duplessis.

 

Já agora, a ópera La Traviata foi escrita com base neste romance e tem umas músicas extraordinárias (que foram passando ao longo da peça no passado sábado).

 

 

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D