Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tu tens a mania

Tu tens a mania

A roupa não tem género

Secundário. Teste de inglês. Aparece uma questão onde se pede que se diga se os acessórios são acessórios femininos, masculinos ou se pertenciam a ambos. Os acessórios em causa são:

 

Mala de mão (handbag)

Gravata (tie)

Boné (cap)

Collants (tights)

Colar (necklace)

Cachecol (scarf)

Cinto (belt)

 

Eduardo respondeu que todos os objectos pertencem a ambos os sexos. E a professora discordou no que diz respeito a gravatas, bonés e meias-calças. Eduardo contestou e foi ameaçado de falta disciplinar (ver notícia completa aqui)

 

captura-de-ecracc83-2019-02-07-as-15-58-37_770x433

 

Esta senhora claramente não saí à rua. Pois, se saísse, saberia que as mulheres usam bonés, gravatas não são exclusivas de homens e que não há mal nenhum em homens usarem collants (até porque são bem úteis para usar debaixo das calças e, assim, combater o frio).

 

Revolta-me ouvir este tipo de notícias. Principalmente, tento em conta que se trata de algo que se passou num sítio onde somos moldados e passam este tipo de mensagem: há coisas para meninos e há coisas para meninas

 

No entanto, também me alegra. É bom saber que existe miúdos de 16 anos a lutarem contra os papéis de género que existem nesta sociedade

 

Obrigada Eduardo. De repente, o futuro parece-me mais luminoso

Livros Lidos: O Monge que Vendeu o seu Ferrari

"O Monge que Vendeu o Seu Ferrari é um best-seller inquestionável que oferece aos leitores uma série de lições simples e eficazes sobre como viver melhor. Combinando de uma forma inovadora a sabedoria espiritual do Oriente com os princípios ocidentais de sucesso e trabalho, mostra, passo a passo, como viver uma vida de coragem, equilíbrio, alegria"

 

Li este livro no seguimento das minhas reflexões do mês de Dezembro. Preciso de melhorar a minha visão sobre a vida, bem como a minha saúde física e mental e este livro ajudou-me a dar os primeiros passos

 

Este livro trata-se de uma fábula, onde um advogado de sucesso, Julián, depois de sofrer um enfarte, decide vender tudo e partir para a Índia, onde esperava iniciar uma jornada de auto conhecimento. Eventualmente, Julián regressa à sua cidade e partilha tudo aquilo que aprendeu ao longo da sua aventura com aquele que considerava ser seu amigo

 

Em menos de 200 páginas, Robin Sharma conta uma pequena estória recheada de conhecimentos importantes para as nossas vidas. Entre outras coisas, fala nas sete virtudes intemporais para uma vida melhor:

 

Dominar a mente

Cumprir com os objectivos a que nos propomos

Praticar o kaizen (melhoria contínua)

Viver com disciplina

Respeitar o nosso tempo

Servir os outros de forma altruísta

Viver no presente

 

Podia-se dizer que são coisas que toda a gente sabe, mas basta passar alguns minutos a observar as pessoas na rua para nos apercebemos que isso não acontece. Aliás, basta eu parar um pouco e reflectir para o meu quotidiano para saber que, apesar de ter o conhecimento daquilo que deveria fazer para melhorar a minha vida, verifico que não o faço. Temos a tendência que atirar as culpas para a falta de tempo, mas o que acontece na realidade é que damos prioridade ao que não nos faz feliz. Este livro permitiu-me parar e reflectir um pouco mais naquilo que faço. E, apesar de só ter lido na semana passada, posso dizer que me fez querer mudar mais algumas coisas. Obviamente, não se obterá mudanças de um dia para o outro, mas dei por mim a fazer certas coisas de um modo diferente do que fazia anteriormente

 

Para mim, foi um excelente livro e que sei que o irei reler várias vezes ao longo da minha vida

 

2019-01-27 09.34.44 3.jpg

 

 

Hábitos de Fevereiro

E já passou um mês de 2019. Janeiro foi um mês interessante. Propus-me a analisar e a melhorar a minha alimentação e tenho conseguido fazer isso. Tem sido um passo de cada vez, com o esforço de não me sentir culpada por cada vez que não consigo cumprir o que me desafiei a cumprir. Foi um mês em que consegui inserir mais alimentos bons para o meu corpo, sem me privar de nada e consegui sentir-me bem e motivada ao longo dos dias. Consegui, também, ter mais energia ao longo dos dias e, mais importante do que isso, a minha mente acalmou um pouco e consegui enfrentar os desafios no trabalho de uma forma mais tranquila e fria

 

Para este mês, o meu desafio é regressar ao exercício físico. Desde Dezembro que me encontro inscrita numa aula de yoga por semana, mas agora preciso de inserir mais actividades que me acelerem o coração da melhor forma. O meu plano é ir uma vez à natação no fim-de-semana e fazer uma caminhada durante a semana. No final deste mês, pretendo conseguir fazer exercício físico três vezes por semana. Não será fácil, principalmente tendo em conta que ainda está frio, mas o meu corpo começa a desesperar por movimento saudável

 

Vai ser uma luta convencer-me a levantar da cama para ir nadar ou ir caminhar no final de um dia de trabalho, mas, com o tempo, tornar-se-á fácil e é nisso que tenho que focar

 

10000-steps-a-day.jpg

origem

Dias de sol

Gosto imenso do Inverno. Do tempo frio, das camisolas grossas e os cachecóis, das mantas e bebidas quentes. Mas o que gosto mesmo são daqueles dias de sol que aparecem após vários dias de chuva. São dias em que o sol nos graceia com algum calor no meio deste frio todo

 

 Gosto de me enfiar dentro de várias camadas de roupa, munir-me de uma manta, chá e um livro e ir para a varanda ler. À medida que o sol aquece o corpo, algumas camadas de roupa vão desaparecendo. O sono aparece e, quando damos por nós, adormecemos com o livro aberto. Acordamos, fechamos o livro e ajustamos a manta, de modo a podermos continuar a aproveitar o aconchego do sol e dormir um pouco

 

Quando voltamos a acordar, enchemos a caneca de chá, voltamos a pegar no livro e repetimos isto tudo até que o calor do sol deixa de ser suficiente para ignorar o frio

 

E assim foi o meu domingo. Como foi o vosso?

 

Sun and books.gif

 

Pausas do dia

No passado mês de Dezembro desafiei-me a passar mais tempo a ler. Inicialmente, a minha ideia seria obrigar-me a ler mais ao final do dia, pois é a altura que tenho mais tempo e que podia ler mais. No entanto, isso não aconteceu

 

Acabei por começar a ler mais no início da manhã e na hora do almoço. Tenho conseguido ler durante uns 20 minutos antes de começar a trabalhar e entre 15 a 20 minutos durante a hora de almoço. Ou seja, sem querer, consegui atingir o meu objectivo de ler durante 60 minutos num dia meramente começando a ler durante o dia, em vez de só no final do dia

 

Eu já lia durante o dia, para ser sincera. Sempre li durante a minha hora de almoço, mas não me tinha comprometido a concentrar-me na leitura. Tinha a tendência de interromper a leitura para conversar ou para pesquisar algo. Mas agora, obrigo-me a que sempre que pego no livro, me dedico a 100% a ler. E tem-me ajudado tanto a fazer um mini reset mental e a enfrentar a tarde com a mente mais relaxada e focada

 

No final do dia, continua a ser um pouco difícil de ler mais. Isto deve-se ao cansaço e ao facto de ter de preparar as refeições. Existem dias que, de forma inesperada, só me apetece ler assim que chego a casa e acabo por passar um par de horas a ler. Infelizmente, não é algo que me aconteça semanalmente

 

No fundo, isto tudo é para dizer que ler é, de facto, um excelente anti-stress e uma maravilhosa maneira de fugir à realidade e a viajar sem sair do sítio

 

 

 

 

Hábitos de Janeiro pt.2

A ideia de consumir mais fruta e vegetais é fantástica no papel. Quando se a coloca em prática, a coisa muda de figura

 

Os primeiros dias da semana correram lindamente. Consegui lanchar a meio da tarde, comi de forma diversificada, mesmo tendo em conta que, devido à existência de bolo em casa por causa de um aniversário, é uma grande vitória para mim. No entanto, as coisas ficaram difíceis na quinta-feira. Muitos problemas e, consequentemente, muito stress durante o meu horário de trabalho levaram a que me esquecesse de lanchar e de só querer consumir coisas com açúcar e gordura. Lutei muito contra essa vontade, mas acabei por ceder na sexta-feira, dia em que mal toquei em fruta. Sábado, continuei um pouco fora do caminho, apesar de ter ingerido mais que no dia anterior e no domingo, as coisas melhoraram bastante

 

Esta semana, o plano seria aumentar em mais uma dose. Continuo com esse objectivo, mas prefiro dar prioridade a manter as 7 doses por dia ao longo de toda a semana. Prefiro não atingir as 8 doses do que colocar mais pressão sobre mim. Manter, de forma consistente, as 7 doses e, depois, aumentar para as 8 doses. Tenho que me mentalizar que tenho que parar, nem que seja por 5 minutos, durante a tarde para parar e lanchar. É este ponto que falho (e muito!). Se calhar, para me estimular mais ao consumo, começo a fazer pequenas saladas de fruta para o meio da tarde

 

fruit-buddha-bowl-horiz.jpg

origem

Workshop de Probióticos

Quando comecei a preocupar-me com aquilo que consumo, uma das sugestões que me fizeram foi consumir probióticos. Arranjaram-me grãos de kefir e fui produzindo kefir até ao dia em que me esqueci deles e acabaram por se estragar. Eventualmente, consegui arranjar mais uns grãos e retomei a produção de kefir e consegui manter o seu consumo regular

 

Consumo outros probióticos, nomeadamente kombucha e chucrute, mas são produtos que adquiro em lojas e não produzidos por mim. Um dos problemas relacionados com produtos fermentados que são vendidos é que, possivelmente, estes produtos não são realmente fermentados. E foi por isso que me inscrevi neste workshop: quero ter a certeza de que consumo mais produtos fermentados

 

Este workshop foi dado pela adorável Oksi (site: Dicas da Oksi) e foram abordados os probióticos mais conhecidos: kefir de leite, kefir de água, kombucha, chucrute, kimchi e miso. Já tinha ouvido falar em todos eles, mas ainda não tinha tido a oportunidade de experimentar kefir de água e kimchi. Não gostei muito do primeiro, adorei o segundo. Arrependo-me de não ter tirado fotos à medida que ia provando os diferentes produtos, mas estava interessada no que a Oksi ia dizendo que me esqueci de tirar fotos

 

Resumidamente, probióticos são micro-organismos vivos que podem ser encontrados em diferentes alimentos e suplementos. São organismos importantes para a nossa saúde ao nível da digestão e intestinos. Existem diversos benefícios associados ao consumo de probióticos, entre eles a melhoria da digestão e da absorção de nutrientes e o fortalecimento do sistema imunitário. Obviamente, é necessário que exista uma alimentação cuidada, rica em fibras, para que o consumo de probióticos traga resultados. Para saberem mais sobre probióticos, obtenham o ebook da Oksi, Fermentados & Probióticos Caseiros, onde ela aborda estes e outros probióticos e explica tudo mais pormenorizadamente e com rigor científico

 

Fiquei com muita vontade de começar a produzir os meus fermentados. Mas ainda não comecei hoje. O mais fácil para começar será o kombucha, pois recebi uma "bolacha" de cultura no workshop e só tenho que fazer chá preto para começar. Mas, como não tenho chá preto, nem verde, não posso fazer nada (por enquanto).Amanhã vou às compras e já poderei começar a produzir o meu próprio kombucha. No próximo fim-de-semana, será a vez de experimentar fazer kimchi. 2019 será, sem dúvida, o ano de melhorar, aos poucos, a minha alimentação

 

IMG_20190120_181206.jpg

 

Hábitos de Janeiro

Não, não me esqueci da ideia de mudar os meus hábitos. O que aconteceu foi que tive uma ideia para o mês de Janeiro e que precisei da primeira semana deste mês para entender como é que EU funcionava.

 

O mês de Janeiro é, tradicionalmente, o mês em que as pessoas começam a dieta e colocam os pés no ginásio. No meu caso, vai ser o mês em que começo a alterar os meus hábitos alimentares. Não vou proibir-me de comer o que quer que seja. A minha ideia é aumentar o consumo de frutas/vegetais. Por isso é que a primeira semana do mês foi para analisar. Precisava de saber a quantidade destes alimentos que consumia e de que forma poderia aumentar o seu consumo. Apercebi-me que, em média, consumia 6 porções. E, por isso, a meta será aumentar uma porção por semana, de modo a que no final do mês, atinja as 9 porções de fruta/vegetais. Seria fácil atingir este objectivo se simplesmente aumentasse a porção de fruta ingerida. No entanto, quero tentar comer mais vegetais. Esta semana, estou, de facto, a consumir mais uma peça de fruta durante a tarde. E, como costumo só comer sopa ao jantar, será inevitável que o aumento dos vegetais se veja ao almoço ou, então, que eu comece a levar cenoura crua como parte do lanche (e é possível que comece a fazer isso) . Pelo sim, pelo não, irei, também, colocar mais vegetais nas minhas sopas

 

Outra coisa que também ando a fazer é misturar fruto secos no meu almoço. Um dos meus pecados como vegetariana é comer poucos frutos secos e tenho a noção que eles são essenciais para a minha saúde. Por isso, comecei a triturá-los ligeiramente, de modo a conseguir misturá-los na comida e não dar por eles enquanto almoço

 

O principal motivo de querer mudar a minha alimentação deve-se ao cansaço físico e mental que sinto cada vez mais. Acredito que se for ingerindo o que me faz bem, o meu corpo e mente acabam por estar mais fortes para resistir aos problemas do dia-a-dia. Obviamente, o continuar a consumir açúcar não será muito benéfico para mim, mas tenho a noção que se decidir fazer tudo ao mesmo tempo, daqui a uma semana estaria a dizer que mudei de ideias e que vou deixar as coisas como estão

 

Tal como disse neste post, em 2019, eu serei a minha prioridade. E, para tal, tenho que começar por dentro e pela forma que cuido do meu corpo. Eventualmente, retomarei o exercício físico. Mas não deverá ser ainda este mês, pois Janeiro é um mês bem frio e eu só me dou bem com caminhadas ao ar livre. Pode ser que em Fevereiro recomece as caminhadas. Para já, é focar-me naquilo que alimenta o meu organismo

 

Functional-Winter-Bowl-1.jpg

origem

Livros Lidos: O Poder

"Quando as raparigas ganham o poder de causar sofrimento e morte, quais serão as consequências?
E se, um dia, as raparigas ganhassem subitamente o estranho poder de infligir dor excruciante e morte? De magoar, torturar e matar? Quando o mundo se depara com esse estranho fenómeno, a sociedade tal como a conhecemos desmorona e os papéis são invertidos. Ser mulher torna-se sinónimo de poder e força, ao passo que os homens passam a ter medo de andar na rua, sozinhos à noite"

 

Este livro foi uma leitura intrigante. Só ouvia críticas pouco positivas, mas o conceito que apresentava deixava-me demasiado curiosa. Imaginar que os homens se tornam no sexo mais fraco, as mulheres governam o mundo e quão diferente (ou não) o mundo seria.. A maioria de nós, mulheres, gosta de pensar que o mundo seria melhor, mas este livro mostra uma outra realidade que, mesmo que não gostemos, é possível de acontecer. Uma realidade onde as mulheres, fartas de serem abusadas, desrespeitadas e humilhadas, vêm o aparecimento deste poder como a possibilidade de se vingarem. Vingança essa que, com o passar dos anos, começa a assemelhar-se com os maus-tratos que elas próprias sofriam nas mãos dos homens

 

“Gender is a shell game. What is a man? Whatever a woman isn't. What is a woman? Whatever a man is not. Tap on it and it's hollow. Look under the shells: it's not there.”

 

Gostei de ler este livro. É um livro interessante que me deixou a pensar na nossa realidade e a reflectir no comportamento humano. No entanto, acho que esta utopia podia ter sido melhor explorada. A história foi desenvolvida a um ritmo rápido, deixando muita coisa por contar e explorar. E a forma como terminou, abrupta e ambígua. Gostava que houvesse uma continuação, onde este conceito fosse explorado com um pouco mais de profundidade

 

Para mim, não se trata de um livro feminista, mas sim um livro sobre poder e a natureza humana e, por isso, um livro a ler

“One of them says, 'Why did they do it?'
And the other answers, 'Because they could.'
That is the only answer there ever is.”  

 

IMG_20181227_121123_320[1].jpg

 

Dia 1 de 365

Normalmente, é o mês de Setembro que me inspira a mudanças. No entanto, desde Novembro, me tenho apercebido que preciso de ganhar coragem para fazer uma mudança brusca. Mas como adoeci e o trabalho acumulou, pouco fiz para alcançar essa mudança. Estes dias de férias permitiram-me parar e reflectir no que quero e o que hei-de fazer para o alcançar. E, por isso, ano novo, luta nova

 

É tempo de arregaçar as mangas e ir atrás do que quero, mesmo não sabendo o que quero. Já tenho uma vantagem: eu sei o que não quero, que é continuar na empresa onde estou. As coisas positivas que encontro não conseguem superar as negativas. Há demasiado stress, desgaste físico e emocional, demasiada falta de educação e pouco reconhecimento do trabalho feito. E nem vou falar no salário.. É por tudo isto que declarei 2019 como o ano do amor e respeito por mim. Será o ano em que vou aprender a ouvir-me, quer física, quer mentalmente, e cortar com o que me é tóxico

 

Obviamente, neste momento, o que me é mais tóxico é o ambiente de trabalho e a forma como me deixo afectar. A solução (parcial) para isto seria despedir-me, mas a minha mente é demasiado ansiosa e com tendência para pensamentos exagerados que me impedem dizer "Que se F*da" e entregar a carta de despedimento sem ter alternativa de trabalho. Vai daí que, para já, irei iniciar a procura de novo trabalho e deixar de ser tão tolerante no ambiente de trabalho. A cada resposta torta que recebo, irei chamar a atenção à pessoa em causa de que aquilo não são modos de tratar uma pessoa. A cada problema que despejam sobre mim e que não me diz respeito, direi isso mesmo "Não me diz respeito, vai ter com a pessoa correcta". A cada novo stress que a minha patroa me atira, irei questionar-lhe de todos os stresses que já tenho em mão, qual é o mais importante. Chegou a altura de dizer "Basta" e "Não"

 

E assim começa 2019: a tornar-me a minha prioridade 

 

loving yourself.jpg

fonte

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D