Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tu tens a mania

Tu tens a mania

Livros lidos #2: Os Versículos Satânicos

Comprei este livro quando entreguei a versão provisória da minha dissertação. Passeava pela livraria enquanto fazia tempo para apanhar o comboio e não tinha qualquer intenção de comprar livros. Quando vi a capa e o título deste livro, fiquei intrigada. Peguei nele, li a sinopse e voltei a coloca-lo na prateleira. Continuei a navegar pela loja, mas acabei por regressar a casa com este livro debaixo dos braços.

 

Ficou na minha estante plantado durante alguns meses. Trata-se de um autor que nunca tinha lido e costumo demorar algum tempo até pegar livros de autores que não conheço. Mas rendi-me durante o mês de Julho. Como tenho a mania de ler dois livros ao mesmo tempo, a certa altura tive que colocar Os Versículos de parte, pois comecei a confundir enredos e nomes (coisa que normalmente não me acontece). Quando voltei a pegar nele, as coisas fluíram maravilhosamente.

 

O livro gira em torno de dois indianos: Gibreel Farishta, um grande actor do cinema indiano, e Saladin Chamcha, expatriado em Inglaterra que decide voltar à Índia ao final de 15 anos. Estas duas personagens cruzam-se durante uma viagem de avião e acabam por serem os únicos sobreviventes quando o avião explode no decorrer de um ataque terrorista.  Após este acidente, os dois homens sofrem transformações peculiares. A personalidade de Farishta começa a transformar-se na personalidade do anjo Gabriel e a personalidade e físico de Chamcha assemelham-se à de um demónio. Ao longo do livro, enquanto se observa a forma como cada personagem lida com estas alterações, é também possível ler algumas visões ligadas à mente de Farishta.

 

Eu gostei imenso do livro e da forma como a história foi sendo desenvolvida. Assim que terminei a leitura, fiquei um pouco curiosa e fui pesquisar sobre o livro e o autor. Nessa pesquisa, descobri que o livro é polémico. A comunidade Islâmica considera que se trata de um livro blasfémico e acusam o autor de mau uso da liberdade de expressão. Na Índia, este livro encontra-se ainda banido. E houve, inclusive, ameaças de morte ao escritor e à sua família, e vários tradutores foram vítimas de tentativas de homicídios.

 

Honestamente, nunca pensei que o livro seria tão polémico e creio que a culpa seja por não ter grande conhecimento da religião islâmica. Continuo a achar que é um bom livro que gostei imenso de o ler, mas, após ter tido o conhecimento da controvérsia, decidi voltar a pegar nele num futuro próximo e ir pesquisando os nomes e histórias mencionadas. 

 

Foi um livro comprado de surpresa e foi uma das melhores leituras que tive nos últimos tempos (com ou sem polémicas).

 

"Para se nascer de novo é preciso primeiro morrer"

 

"Ninguém pode avaliar uma lesão interna pelo tamanho da ferida superficial"

 

"Alguém escreveu que o mundo é o lugar que, morrendo nele, provamos ser real"

 

IMG_20170805_212554.jpg

 

 

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D